Ícone Menu
logo Avaliar grátis!
Plano de saúde com coparticipação: entenda como funciona

Plano de saúde com coparticipação: entenda como funciona

Sabia que, dependendo da sua situação, um plano de saúde com coparticipação pode ser mais vantajoso do que um plano tradicional? Saiba mais!

Você sabe o que significa um plano de saúde com coparticipação? A coparticipação acontece quando o beneficiário paga uma taxa sobre cada serviço utilizado, além da mensalidade do plano.

Normalmente, um plano de saúde com coparticipação tem uma mensalidade mais atrativa em relação a um plano de saúde sem coparticipação. No entanto, é preciso estudar bem o seu caso para saber o que vale mais a pena.

Ficou interessado? Entenda mais sobre o funcionamento de um plano de saúde com coparticipação e saiba se ele vale a pena ou não para você.

Como funciona o plano de saúde com coparticipação?

Neste tipo de plano, o beneficiário paga um valor a cada mês, assim como acontece num plano de saúde tradicional. No entanto, sempre que ele utilizar o plano, ele terá que pagar mais um valor referente ao procedimento realizado.

Sendo assim, caso ele tenha passado por uma consulta no mês, ele terá que pagar a mensalidade do plano e mais uma taxa relativa à consulta. O valor dessa taxa pode ser fixo ou uma porcentagem do valor real da consulta, a depender do que foi definido por cada operadora de saúde.

Por essa razão, é muito importante que você, ao pesquisar os planos disponíveis para contratação, saiba quais são os procedimentos em que há a cobrança da taxa, além de saber quanto custa essa taxa. Desta forma, você evita surpresas desagradáveis.

Vale saber, ainda, que o valor integral do procedimento não pode ser cobrado. Desde 2018, o percentual máximo permitido é de 40%, além de existir um limite para o valor total pago no mês e no ano pelo beneficiário.

Além disso, atualmente, há mais de 250 procedimentos em que a cobrança da coparticipação foi proibida pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), como exames preventivos, exames de triagem neonatal e de pré-natal e tratamentos de doenças crônicas, como câncer e hemodiálise.

Em contrapartida, os procedimentos que podem ser cobrados são:

  • Consultas médicas, com a cobrança feita por consulta;
  • Exames simples, com a cobrança feita por exame, e não por coleta – por exemplo, uma única coleta de sangue pode servir para diversos exames. Neste caso, cada exame será cobrado;
  • Exames especializados;
  • Internações – a cobrança é relativa à internação em si, independente de quantos dias o paciente ficar internado, sem a cobrança, inclusive, dos exames realizados na internação.

O plano de saúde com coparticipação pode ser contratado tanto na modalidade individual ou familiar, quanto na modalidade coletiva, seja por adesão ou empresarial.

Qual a diferença entre o plano de saúde com coparticipação e sem coparticipação?

Uma vez que a coparticipação implica no pagamento de uma taxa por cada serviço utilizado na assistência médica, o plano de saúde desta categoria se diferencia na quantidade de vezes que o beneficiário tem que fazer pagamentos.

Dessa forma, enquanto em um plano sem coparticipação, o cliente paga um valor único e fixo durante o mês – que é o valor da mensalidade -, no plano com coparticipação, mais valores são desembolsados – o valor da mensalidade e os valores relativos aos procedimentos realizados.

Isso pode variar de mês para mês. Há meses em que o beneficiário utiliza bastante o convênio, assim como há aqueles em que não há a utilização. Desta forma, o pagamento do convênio médico será variável.

Uma vez que o plano com coparticipação exige mais pagamentos por mês do cliente, algumas pessoas podem pensar que ele não vale tanto a pena. No entanto, exatamente pelo fato do beneficiário pagar uma parte do atendimento recebido, as mensalidades de planos desta categoria são, normalmente, mais atrativas do que as de outros tipos de plano.

Portanto, mesmo que possa haver um gasto maior em determinados meses, o plano com coparticipação pode significar uma economia para quem não utiliza o convênio médico com muita frequência.

Com relação à utilização, não há diferenças. Você pode ter acesso ao mesmo tipo de cobertura, segmentação e carência em um plano com ou sem coparticipação. Ou seja, a única diferença é no valor.

Quando o plano de saúde com coparticipação vale a pena?

Para saber se o plano de saúde com coparticipação é o ideal para você, é necessário observar a sua frequência em hospitais e consultórios.

Mesmo tendo uma mensalidade mais barata do que um plano sem coparticipação, este tipo de assistência médica pode não valer a pena se você frequenta hospitais e clínicas médicas diversas vezes.

Por exemplo, uma pessoa que possui uma doença crônica tem a tendência a visitar o médico mais vezes do que uma pessoa sem a doença. Neste caso, o plano com coparticipação não valerá a pena, uma vez que o valor da mensalidade juntamente com o valor da coparticipação dos diversos procedimentos pode ficar mais caro do que a mensalidade de um plano tradicional.

O mesmo é válido para o público idoso, que, normalmente, requer mais atendimento médico do que o restante da população.

Já para alguém que não costuma ir muito a clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos relacionados à saúde, o plano pode ser vantajoso. Por mais que em algum mês você acabe tendo um custo maior, nos demais meses a despesa é menor.

Assim, no final de um ano, você pode acabar gastando menos com esse plano do que com o outro tipo de plano.

Problemas com seu plano de saúde? A JusVita pode te ajudar!

Ter um problema com o plano de saúde, seja ele com ou sem coparticipação, é uma coisa que pode acontecer. Os mais comuns são a negativa de algum atendimento, procedimento ou medicamento, e o reajuste abusivo da mensalidade.

Em alguns casos, a operadora pode, sim, negar a solicitação do beneficiário, seja porque a cobertura realmente não está em contrato, seja porque a carência ainda não foi completamente cumprida. No entanto, há situações em que essa negativa pode ser indevida.

Se isso acontecer com você, a JusVita pode te ajudar! Preencha o nosso formulário online gratuitamente e saiba se você foi vítima de uma prática abusiva do seu plano de saúde.

Depois de preencher o formulário, basta nos encaminhar os documentos relacionados ao problema, como os comprovantes da negativa, e aguardar a nossa análise. Assim que ela for finalizada, entraremos em contato com você em até 24 horas.

Quer saber mais sobre como podemos te ajudar? Entre em contato conosco pelo telefone (11) 93023-7616 ou escreva para [email protected]

Importante!

Esse texto tem caráter informativo e busca orientar consumidores sobre seus direitos. Somente um advogado é capaz de oferecer atendimento jurídico.

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, entre em contato pelo e-mail [email protected]

Gostou do conteúdo? Compartilhe!