Ícone Menu
logo logo Avaliar grátis!
Plano de saúde cobre tratamento com psicólogo? Entenda

Plano de saúde cobre tratamento com psicólogo? Entenda

Com a indicação médica, o plano de saúde cobre consultas com psicólogo, ajudando os beneficiários que precisam do acompanhamento. Saiba mais!

São várias as condições que podem levar à indicação de consultas com psicólogos. Depressão, ansiedade, distúrbios alimentares, fobias e outros transtornos são alguns dos muitos que podemos citar. Sabendo que cada vez mais pessoas se interessam pelo tratamento, surge a dúvida se o plano de saúde cobre ou não sessões com psicólogo.

Por muito tempo, doenças psicológicas foram tratadas como um tabu pela sociedade, o que só contribuía com o preconceito com a especialidade médica. Felizmente, isso tem sido deixado de lado e os profissionais da psicologia têm sido mais requisitados pelos pacientes, assim como indicados por outros especialistas.

Se você teve indicação médica ou pretende passar por consultas com um psicólogo, saiba mais sobre o tratamento e entenda se o plano de saúde cobre ou não o atendimento.

Como é uma consulta com o psicólogo?

As consultas com psicólogo acontecem a partir de conversas. Diferente de outras especialidades, esse tipo de terapia demanda um número maior de consultas, onde a frequência é algo que pode ser determinante para o sucesso do tratamento.

Sendo assim, de início, o profissional busca conhecer o seu paciente, entender, de algum modo, o porquê da sua presença, e mais informações que o paciente lhe der. Quanto mais informações forem compartilhadas, melhor para a eficácia do tratamento.

Nas demais consultas, a conversa continua. Os problemas e situações são apresentadas, e o profissional busca analisar tudo cuidadosamente. Pode-se dizer que é realizado um trabalho em conjunto, no qual ambas as partes buscam soluções.

O plano de saúde cobre atendimentos com psicólogo?

Sim, os beneficiários de planos de saúde podem ter a cobertura de sessões com psicólogo. A obrigatoriedade é sustentada pela presença do tratamento no rol de coberturas básicas da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

A cobertura é garantida quando a segmentação do plano é ambulatorial ou referência. Já planos hospitalares (sem cobertura ambulatorial) e odontológicos não cobrem as sessões.

Além disso, as regras relativas à cobertura foram alteradas pela ANS em julho de 2022. Até o período, o número de sessões era limitado de acordo com a condição do paciente.

Pacientes candidatos a cirurgias, implante coclear e ostomizados tinham direito a 12 sessões por ano. Beneficiários com transtornos neuróticos, estresse e síndromes comportamentais podiam ter 18 sessões cobertas por ano. O número maior era para os portadores de esquizofrenia, transtornos delirantes, globais do desenvolvimento, da alimentação e do humor, sendo 40 sessões por ano.

Com a decisão da ANS, esses limites deixarão de existir a partir de 1º de agosto do mesmo ano. Será possível ter a cobertura de quantas sessões forem necessárias, e qualquer doença ou condição de saúde listada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) será considerada.

Quem pode ter um tratamento psicológico pelo plano de saúde?

Qualquer pessoa pode ter uma consulta com um psicólogo e, se quiser, prosseguir para um tratamento mais longo. No caso de beneficiários de planos de saúde, é necessário ter uma indicação médica para que as consultas sejam cobertas pela operadora.

Com a decisão da ANS sobre o fim dos limites nas consultas com psicólogos e com especialistas de outras áreas, qualquer pessoa portadora de doenças ou condições de saúde presentes no CID (Classificação Internacional de Doenças) pode ter as sessões com psicólogo cobertas pela assistência médica.

A exceção é para beneficiários que não têm cobertura ambulatorial.

Antes da decisão, somente pacientes candidatos a cirurgias, implante coclear, ostomizados, com transtornos neuróticos, estresse e síndromes comportamentais, e portadores de esquizofrenia, transtornos delirantes, globais do desenvolvimento, da alimentação e do humor podiam ter a cobertura do acompanhamento psicológico.

Como conseguir a cobertura de sessões de psicologia pelo plano de saúde?

Para ter as sessões de psicologia cobertas pelo plano de saúde, o paciente deve ter a indicação médica de um profissional especialista. Esse encaminhamento é essencial para que a operadora forneça a cobertura.

Sendo assim, o beneficiário deve comparecer a uma consulta com um médico – pode ser um clínico geral ou um psiquiatra, por exemplo – e pedir a indicação do tratamento psicológico.

Com a solicitação em mãos, basta procurar uma clínica ou um profissional da rede credenciada e aguardar a aprovação de cobertura pelo convênio médico.

E se o plano negar a cobertura?

Apesar das consultas e sessões estarem presentes no rol de coberturas obrigatórias da ANS, ainda existem casos de negativa de coberturas por algumas operadoras de saúde. Assim, a prática pode ser considerada abusiva.

Diante da negativa, o paciente deve buscar por seus direitos. A primeira coisa a se fazer é pedir ao plano de saúde a recusa por escrito. Esse documento deve conter o motivo da não cobertura e ter uma linguagem clara, fácil e objetiva. Uma vez que solicitado o comunicado, os planos de saúde devem, obrigatoriamente, fornecê-lo, sem negar a entrega.

Feito isso, o paciente tem algumas opções para conseguir a cobertura do tratamento. Uma delas é entrar com uma ação contra o plano de saúde e pedir uma liminar, que é uma decisão judicial feita em situações urgentes.

Sem esse documento, a espera pelo resultado da ação pode levar muito tempo, podendo gerar mais prejuízos ao paciente. Dependendo da região, a liminar pode ser emitida em até 48 horas, apenas.

Na ação contra a operadora, o beneficiário pode pedir a cobertura das sessões ou o reembolso do valor utilizado no acompanhamento psicológico.

Uma alternativa é reclamar junto à ANS ou aos órgãos de proteção ao consumidor, como os Procons estaduais. Por eles, você pode registrar sua reclamação online, por telefone ou em um dos postos físicos credenciados.

Já para entrar em contato com a ANS, ligue para 0800 701 9656 ou para 0800 021 2105 em caso de deficiência auditiva. Também é possível fazer a reclamação online pelo Fale Conosco, no site da agência, após a realização de um cadastro.

Quer saber se você foi vítima de uma prática abusiva do seu plano de saúde? Conte com a ajuda da JusVita! Somos uma empresa especializada em auxiliar o beneficiário que teve ou está com problemas com o seu plano de saúde, inclusive o de negativa de tratamento.

O primeiro passo é responder gratuitamente o nosso formulário de avaliação. Depois, basta enviar as fotos dos documentos solicitados, bem como dos comprovantes relativos à cobertura ou fornecimento.

Feito isso, nosso time fará a análise completa do seu caso e entrará em contato com você em até 24 horas.

Ainda tem alguma dúvida sobre como podemos te ajudar? Entre em contato conosco pelo telefone (11) 93023-7616 ou escreva para [email protected]

Importante!

Esse texto tem caráter informativo e busca orientar consumidores sobre seus direitos. Somente um advogado é capaz de oferecer atendimento jurídico.

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, entre em contato pelo e-mail [email protected]

Gostou do conteúdo? Compartilhe!